Coisas que tenho que lidar aos 35 anos

Faltam 29 dias

E tem tanta coisa que eu tenho que lidar nessa idade…

  1. Contar a data de nascimento e as pessoas dizerem (sempre!): Ah, não parece!!!

E sempre responder com um sorriso constrangido (às vezes meio sorriso), como se fosse um elogio. E ainda achar que pode não ser. A data de nascimento é 21/10/1980. E ainda lidar com outra pergunta: 1980 e… ?

  1. A pergunta fatal: senhora, madame ou senhorita?

Juro, essa é a pior de todas! Dá vontade de andar com a placa: me chame de “VOCÊ”!

  1. Todas as crianças e adolescentes do universo (TODOS MESMO!) te chamarão de tia, em QUALQUER ocasião ou local.

Você se sente (e entende) o Tia Sukita da propaganda e pergunta a si mesma: quando foi que isso mudou?

  1. Ter sempre alguém pra te perguntar: – Cadê seu marido?

Essa geralmente vem depois da primeira da lista. E as que se sucedem são tão desconfortáveis como essa.

  1. Depois da pergunta anterior as pessoas insistem (SEMPRE) na questão: – Não tem filhos? Por quê?

Alguém pode me explicar onde Deus escreveu a regra de que mulher com mais de 30 vem acompanhada de marido e filhos? E qual a punição, pra que eu já aguarde o julgamento final?

  1. Os vizinhos acharem que sou casada com meu pai!

Sim, isso aconteceu há uns 15 dias. As meninas do salão do meu prédio caíram na risada depois de 15 segundos de silêncio e uma eterna entreolhada quando disse que moro com meu pai. Elas não conseguiam entender como uma menina jovem vivia e tinha tanto carinho com um senhor de cabelos brancos. Eu ri duas vezes mais que elas quando fiquei sabendo.

  1. Falar palavrão quando quiser. E lidar com a cara das pessoas em volta.

(alguém me manda o caderno de etiquetas da idade que se enquadra a certa para palavras?)

Não adiantou passar pimenta na minha língua, nem ficar de castigo. Falo palavrões mesmo. É inevitável, cara! Ouço que isso não é coisa que se faça na minha idade – o que geralmente vai vir de mulheres mais velhas – ou acham que eu só uma tia doidona que não tem papas na língua – que claramente vai vir de algum ser mais jovem que eu.

  1. Descobrir que os 35 anos são a entrada para a meia idade e que uma pesquisa maluca aponta essa como a idade mais feliz!

Juro que nem precisava dessa informação ou pesquisa pra ter certeza disso!

  1. Saber a diferença entre light, zero, diet, fit, orgânico, trans e integral

Ler rótulos, contar calorias, quantidade de sódio, de gorduras, saber de cor as pegadinhas da indústria alimentar e fazer disso um pesadelo em vida faz parte da minha rotina. E obrigar toda a família e as amigas a ser assim também.

  1. Nunca mais comer lanches da madrugada sem culpa

Aí eu descobri que virei a chata de galochas da comida.

  1. Assumir que beber muita água faz milagres salva toda a sua cadeia metabólica 
  1. Acreditar nas fórmulas da eterna juventude

Sim, eu acredito em várias dicas que as mulheres repassam e testo quase todas. Rio quando as absurdas não funcionam e fico assustada quando uma dá certo. Quem nunca?

  1. Salão de beleza

Sim, me rendi aos salões: virei mulherzinha. Admito, confesso a minha culpa e vaidade. Mas nas semanas que não posso ir, não sofro pela falta de cuidado.

  1. A maldição da depilação não usada

É só depilar pra passar a vida no zero a zero. E o contrário também. Boas entendedoras entenderão.

  1. Ainda cair dos saltos. E os sapatos ainda doerem os pés!

Não me venha com essa de que uma mulher fica mais elegante de saltos. O dia que me virem andando com um agulha, com mais de 10 cm, vão entender como sou nada sexy com uma plataforma. Desisti: eu simplesmente não nasci pra usar salto alto. Ainda prefiro as sapatilhas, alpargatas e tênis. E o inverno é só com botas.

  1. As pessoas não entenderem que gosto de saias e vestidos

Essa me acontece há anos! Primeiro foi uma amiga dizer que não tenho idade pra usar saia com mais de 4 dedos acima do joelho (hein???). A segunda é uma senhora ter me dito que não me dou o respeito por usar um vestido curto (Cuma???) e a última foi dizerem que não me devem levar a sério porque uma mulher da minha idade não deveria usar shorts, saias e nem vestidos tão curtos assim (detalhe: a roupa estava a três dedos acima dos joelhos!). Ah tá: não posso usar as roupas que eu gosto, enquanto tenho pernas boas pra usar. Mas tenho que lidar com esse machismo e sexismo barato? Máh Vá!!!!!!

  1. A idade é inversamente proporcional à quantidade de maquiagem que uso

Hoje usamos a maquiagem à nosso favor. Nós guerreiras, que aprendemos exagerando no pó, no kajal (isso entrega qualquer idade), erramos a mão no blush, tentamos copiar as meninas da TV das revistas (salve revistas Capricho! e Querida), custamos a acertar a mão no delineador. E mesmo assim as “novinhas”, com tanto tutorial aí, conseguem parecer que tem a nossa idade! Meninas, aprendam: usem a maquiagem a seu  favor!

  1. Ter 20 minutos para se arrumar

E conseguir sair diva: pra balada, pro almoço ou pro piquenique no parque!

  1. Ser mais cantada por mulheres que homens

Não sei por que isso acontece comigo não, mas faço muito sucesso com as moças. E fico lisonjeada com as cantadas e olhares. É aquela história: já que os rapazes não se expressam tanto, pelo menos tem quem demonstre.

  1. Homens podem ser amigos das mulheres. Mas eles sofrem com as nossas frescuras!

Hoje sim, podemos ter uma amizade em pé de igualdade: a gente dá conselhos e morre de pedir ajuda. E tem que aprender que meninos agem bem diferente da gente.

  1. Amizade Colorida / Belisco

Eles fazem parte da minha vida. Do meu cotidiano. Das mensagens arquivadas. E da agenda de contatos. Às vezes eles somem. E tem vez que aparecem de uma vez só. Quem tem mais de 30, livre da vida, sabe bem como é…  Salvo em caso de relacionamento sério, temporário ou “tico-tico no fubá” – quando eles ficam automaticamente excluídos da vida. Até que….

  1. Homens bacanas existem em todas as idades

Aprendi que os homens com mais de 35 podem valer por dois de 20. Um de 20 pode ser muito mais que os de 30. E os de 30 podem valer muito. Mas não posso versar sobre os que têm mais de 40….
Ou seja: o que faz um homem valer é o que ele tem pra oferecer. Não a idade! (Fica a dica)

  1. Foi a primeira vez que me aconteceu… (tsc, tsc…)

Não, não foi a primeira vez que te aconteceu, bofe. E nem será a última. Eu simplesmente sei…
Já sei de cor e salteado as desculpas, entrelinhas e as sumidas dos homens nas redes sociais e na vida fora delas. Nessa idade sei bem quando é pretexto, que o problema não é com você e que você não está confuso. Simplesmente não quer. Os homens podem parar de agir assim, pois somos vacinadas e já temos sapiência para entender esse roteiro: nessa idade o melhor é ser sincero, ok, honey? 

  1. Homens depilados

Os tempos mudam e hoje os homens andam se depilando como mulher, fazem a sobrancelha, as unhas, pintam e alisam cabelo, etc e tal. Tem uma bancada com mais cremes, loções e poções mágicas que eu. E estão aprendendo a nos respeitar pelas dores que enfrentamos com a cera e tantas outras coisas. Só não exagerem, por favor! Senão começo a ficar perdida e me acho mais ogra que muitos de vocês, tá? 

  1. Pedir um café sob o olhar de tristeza do garçom pensando que levei um bolo

Isso serve para quando me sento sozinha no restaurante, quando vou só ao cinema, quando vou sem companhia em algum evento ou aniversário de algum conhecido. Gente do céu, pare de olhar as mulheres com complacência quando saímos só!!!!! Não, não levamos um bolo! Só estamos exercendo o direito de sair com a nossa companhia. E se estamos no celular é pra compartilhar a foto da comida ou avisar às amigas que vamos ficar offline. Não dói sair só. Não é solitário sair só. Você por acaso usa o banheiro somente na companhia do companheiro e da família? É mais ou menos isso quando a gente vai ao shopping também. E parem de perguntar cadê o marido, filhos, a família ou qualquer outra pessoa! Entenda: mulheres saem tão só quanto homens fazem compras sozinhos! (Quer que desenhe?)

  1. Brigar eternamente com qualquer aplicativo de localização, rotas ou com mapas de verdade

Desisto de mapas: sou “deslocalizada” e sem rumo mesmo! Esses guias só me fazem dar volta 5 vezes em um lugar pra repetir: recalculando rota! Não nasci pra seguir mapas: o mais confiável é pedir informações. Nem que seja a cada esquina. Esses dias me convidaram pra ir ao cinema em um shopping e eu fui parar em outro. Só descobri depois que a moça do cinema confirmou que o filme não passava naquela sala, mas nas salas do shopping 3 km antes. Por favor, envie a localização pra mim junto com qualquer convite. Obrigada, de nada!

  1. Pagar a conta. Dividir a conta. Ou pagarem toda a conta

Nada dá mais sensação de liberdade que você pagar uma conta. Dividir é quase uma regra, quase o trivial. E nada mais surpreendente do que oferecerem para pagar a sua. Seja um homem, seja uma amiga. 

  1. – Panela Velha é que faz comida boa!?

Hein? O homem já foi à Lua, as mulheres já presidem países, já concebem crianças em laboratório, meninos de 5 anos sabem usar um smartphone e eu ainda tenho que aguentar alguém falando isso? Socorro, né?????

  1. Ultrassom interno. Mamografia. Coletor menstrual

Todo ano é assim: check-up completo da sua pepeca (tentei ser educada porque minha mãe com certeza está lendo isso. E meu pai também, se ele passou ileso pelos itens 22 e 24, sem pular!) e feminilidades. É necessário, mas quem disser que gosta, leva uma voadora mental minha! É chato, incômodo e ainda bem que só é preciso uma vez por ano. Senão chorava até hoje querendo ser menino! Não é modinha, querer ser hispter ou algo do tipo: toda mulher se torna especialista em absorventes e já testou e usou TODAS as opções em um supermercado. E acaba arriscando no coletor. Usei uma vez e recomendo. E continuo achando que ser homem é menos complicado (#prontofalei)

  1. A lei da gravidade

Essa chega pra todo mundo. E é implacável. Cada 5 horas de academia parecem corrigir apenas o efeito de 1hora de férias na praia com open bar. Passei 20 anos me dedicando à arte da conversa afiada já que a luta contra a balança é um caso perdido. E bem perdido! E haja capsulas de colágeno, termogênico, shake redutor, suco detox, fórmula seca barriga e sessões de crossfit, personal e de drenagem para combater o efeito de um fim de semana sem freio. É, alguma hora as coisas caem. Ainda bem que meu humor não cai junto! 

  1. Não ser chefe e ainda ser feliz no trabalho

Não coordeno uma equipe, não sou gestora de pessoas e nem de projeto. E estou muito feliz assim. E mais ainda de saber que quem comenda a equipe é outra mulher. 

  1. Fiquei pra Titia mesmo. E daí?

Fiquei pra Titia mesmo e isso não dói! O que dói é a brincadeira com a simples função de cutucar, é o olhar de superioridade de quem acha que só vou ser feliz se for casada que nem aquela amiga, que a vida só teria sentido se eu tivesse dois filhos. Fia, ainda dá tempo de eu fazer isso tudo. E se não aconteceu, não vou viver lamentando em cada esquina e festa de família ou chá de bebê. Ainda bem que tem gente bondosa nesse mundo que leva os filhos pra eu ver, me deixa rolar na grama com os filhos e me põe na piscina pra brincar com o filho.

  1. A cara das pessoas quando uso o dinheiro da poupança pra viajar no lugar de investir em imóvel próprio

Imagine a cara que as pessoas faziam quando – à época da vovó – uma mulher dizia que era desquitada. Aposto que os olhares dos outros aniquilavam tanto quanto os que recebo quando digo que economizo pra viajar e não pra comprar um apê. Parece que é crime, uma mulher na minha idade “se dar o desfrute” de morar de aluguel, dividir casa com o pai e ainda se colocar no mundo no lugar de se assentar na vida. Dá licença, mas eu prefiro gastar meus pequenos tostões pra conhecer os lugares que tenho vontade a viver eternamente contando moedas só para me trancar em “apertamento” qualquer. Um dia eu chego lá!

  1. 50 tons de cinza: a luta eterna entre a expectativa e a realidade!

Toda e qualquer mulher da minha idade sabe bem que aquela série só existe na ficção, né? Que é só historinha, que a realidade é mais para três tons de qualquer cor, né???

  1. A regra do 1 por 2:

Pra cada noite virada, uma mega ressaca e dois dias pra se recuperar! É ter 35 anos te faz entender que você não dá conta do mesmo ritmo da faculdade. E que os fins de semana podem ser um sem-fim de eventos!

Anúncios
Coisas que tenho que lidar aos 35 anos

4 comentários sobre “Coisas que tenho que lidar aos 35 anos

  1. Lea disse:

    Essas afirmações perante a vida , às pessoas e as nós mesmo nunca acabam … estaremos sempre envelhecendo e a margem dos olhares dos outros e os nossos internos. Todos os dias a toda hora. Às vezes nos conformamos as vezes não . A idade chega o tempo é cruel sim, infelizmente…

    Curtido por 1 pessoa

    1. O bacana do tempo Lea é que – se ele é implacável na parte física – ele traz uma sabedoria e uma noção de valor às pequenas coisas. Há quem nos cobre maturidade, ser centrada, ser responsável ou até querem nos encaixotar num modelo. Mas a alma sempre voa pra onde nós somos de verdade!

      Curtir

  2. Lea disse:

    Aaah envelhecer é bom
    Acompanha o ritmo da vida …
    Vá lá no Net Flix e assista o filme : A Incrível História de Adalaine _ Uma linda mulher com mais de um século de idade se apaixona , mas isso pode pôr em risco os segredos do seu corpo de 29 anos.
    Lindo, comovente, romântico e surpreendente .
    Vai gostar

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s